O conceito dos clubes de assinatura parece bem simples: enviar todo mês para o assinante uma box com uma seleção de produtos. Porém, mais do que o envio de encomendas, os clubes representam algo ainda maior: uma prática experiência personalizada de recebimento.

Além disso, existem mais alguns fatores e a serem considerados, que dependem muito do tipo de clube que você decidiu abrir. E o primeiro ponto é examente esse: o tipo de clube, uma vez que existe mais de um formato possível de funcionamento.

Dependendo do produto, serviço ou experiência que você idealizou oferecer, é necessário estabelecer como será o mês a mês desses recebimentos. Mas não se preocupe, com foco e planejamento, seu clube vai ter tudo para dar certo!

Conheça, a seguir, quais são os tipos de clubes de assinatura e qual a melhor forma de trabalhar com cada um deles:

Reposição
Esse tipo de clube tem a missão de repor o estoque de itens que estão faltando na casa do consumidor. Ao invés do assinante ter de sair de casa para comprar itens que acabam com frequência, como produtos de higiene, limpeza ou condimentos específicos, esse tipo de clube simplesmente envia todo mês esses itens faltantes, com toda comodidade.

A ideia aqui é livrar seu assinante de uma tarefa que ele acaba se esquecendo que executar, ou que, até mesmo, considera chata.

Mas atenção: mesmo que essa box pareça fácil de ser montada, é necessário considerar a experiência mensal do assinante. Por mais que se trate de um clube de assinatura de reposição, a personalização da box ainda é muito importante.

Se o consumidor prefere receber um tipo de produto específico e não tem interesse em receber outro, é imprescindível que o clube nunca envie para ele algo indesejado.

Para garantir que não haja esse tipo de problema, se faz imprescindível a criação de um formulário, que será preenchido no ato da assinatura do clube. Nesse documento, o cliente responderá uma série de perguntas, explicando seu gosto pessoal, contando se tem alergia a algum produto, etc.

É possível, também, que alguns itens acabem se acumulando e que o cliente opte por não recebê-los novamente por algum tempo. E é por causa de possibilidades como essa que se faz necessária a comunicação aberta e constante com seus assinantes.

Quando o assinante pode, por exemplo, escolher no ato da assinatura a opção de receber uma nova box semanalmente, quinzenalmente, mensalmente ou até mesmo bimestralmente, a chance do clube acertar o calendário de reposição dos itens é bem mais alta.

Também é válido deixar claro para seu assinante que ele pode entrar em contato e solicitar a remoção de determinado item dos envios das próximas boxes, permitindo que ele sinalize quando quiser voltar a receber o item. Lembre-se sempre que a ideia é que o assinante esteja satisfeito com o recebimento, a ponto de querer sempre manter e até mesmor renovar a assinatura do clube.

Curadoria
Se até mesmo os clubes de resposição precisam se preocupar com a experiência do assinante, os clubes de curadoria precisam dez vezes mais. Esse tipo de clube também requer que o perfil do consumidor seja traçado por meio de um formulário; entretanto, o trabalho aqui será um pouco mais desafiador.

Seu clube pode trabalhar o que for: alimentos, itens de beleza, materiais para a realização de uma atividade infantil, entre outros; mas a tarefa de todo mês será sempre a de tentar chegar o mais perto possível do gosto do assinante.

Enquanto os clubes de reposição pedem apenas que o cliente faça escolhas dentro de um catálogo pré-divulgado, os clubes de curadoria precisam entender esse assinante de forma mais subjetiva, considerando todos os aspectos da vida dele. Por exemplo, se ele mora sozinho, se gosta de poesia, se curte temperos apimentados, se tem um animal de estimação, etc.

Parece exagero, mas todas essas informações fazem diferença na hora de montar uma box de curadoria. Se o clube de assinatura tem a proposta de enviar livros, por exemplo, a escolha dos títulos dos livros não será do assinante, mas sim do clube; o que traz a grande responsabilidade de entender o gosto pessoal de cada um dos assinantes.

Os clubes de curadoria precisam trabalhar na ideia de surpreender o assinante, uma vez que ele nunca sabe exatamente o que vai receber na box. A chave para um bom desempenho desse formato de clube estará sempre no fator surpresa, aliado a um bom custo-benefício percebido pelo assinante.

Além disso, fica subentendido para quem assina que a curadoria do clube é composta por uma equipe de especialistas em que se pode confiar. Logo, honrar essa confiança torna-se uma tarefa diária para o empreendedor.

Acesso exclusivo
Já ouviu falar em clubes de benefícios ou de resgate de ofertas? Esse é um tipo de clube que geralmente funciona no âmbito online, podendo culminar em benefícios materiais para o assinante.

Por exemplo, ao contratar os serviços desse clube, o cliente pode ter uma série de vantagens ao acessar o canal oficial de comunicação. Seja com sorteios ou descontos em ingressos, viagens ou produtos, a ideia é que o assinante pague todo mês para ter uma gama de benefícios ao seu dispor.

Outro tipo de assinatura que se enquadra no conceito de acesso exclusivo é o da liberação de conteúdos voltados especificamente para o assinante. Da mesma forma que se paga todo mês para ter crédito no celular ou acesso ao catálogo de filmes e séries via streaming, é possível pensar em um formato de assinatura que libere algum tipo de conteúdo ou plataforma para o assinante, seja um curso, um vídeo ou uma ferramenta virtual.

Também é possível incorporar esses tipo de vantagens em clubes de reposição ou de curadoria, uma vez que poderia ser um atrativo a mais para o assinante. Uma ideia bacana é inserir um QR Code na box para conceder os acessos exclusivos.

Depois de considerar todos esses pontos, é hora de colocar seu clube para vender. Já decidiu qual tipo clube de assinatura será o seu?

Comece a tirar a sua ideia do papel com a ajuda do maior portal de clubes de assinatura do Brasil, o Hub Home Box, clicando aqui!