Você já se perguntou como a escolha correta das embalagens pode impactar diretamente nas vendas do seu clube de assinatura? Em um estudo recente realizado pelo Mercado Livre, realizado a partir de dados colhidos entre abril de 2021 e março deste ano, os gráficos da plataforma apontam que o consumo de produtos sustentáveis no Brasil mais que dobrou.

Detalhando que cerca de 4,3 milhões de pessoas adquiriram mais de 7,3 milhões de produtos sustentáveis no último ano, o estudo ressalta que o território nacional corresponde a 40% desse mercado, cujo crescimento das vendas foi duas vezes maior em relação ao levantamento anterior. Isso mostra que a tendência é que o consumidor, além de querer viver uma boa experiência com compras online, também tem preferido produtos entregues em embalagens que facilitem o descarte e que sigam práticas que minimizam os impactos no meio ambiente.

Quer entender melhor como seu clube pode otimizar essa preocupação com a sustentabilidade por meio de suas caixas e embalagens? As informações a seguir foram trazidas pela ABVTEX (Associação Brasileira do Varejo Têxtil), na qual cerca de 20 marcas se uniram para criar de forma colaborativa quais são as boas práticas para embalagens sustentáveis do e-commerce; confira:

Como as embalagens do seu clube afetam o meio ambiente

A pandemia trouxe um crescimento das vendas online e, consequentemente, o aumento da adesão da população brasileira aos clubes de assinatura. No entanto, esse fato agravou problemas que as embalagens já traziam para o meio ambiente.

Um imenso volume de resíduos de plástico e de papel que, em sua maioria, é descartado de forma inadequada no Brasil. Ou seja, já que enfrentamos esse cenário de descaso e constante aumento poluição no país, cabe aos varejistas e clubes de assinatura adotarem por conta própria melhores práticas ao enviar seus produtos – e tudo começa com as embalagens.

Os impactos
+ 37,1% são embalagens plásticas (2021):
O preço baixo e a facilidade de compra ainda fazem do plástico a escolha favorita.
+ 6,8% aumento na produção nacional de plástico (2020-2021)
A cada ano, mais e mais plástico é produzido no Brasil.
+ 8,5% das embalagens foram para produtos têxteis (2021)
Marcas relacionadas à vestimenta estão entre os destaques de irresponsabilidade sustentável.

Os desafios do mercado

Adotar boas práticas para embalar os produtos de suas boxes de assinatura, além de ser uma atitude responsável e urgente, têm sido uma iniciativa percebida pelo assinante, o que tem gerado impressões positivas em relação à atenção do clube acerca dos problemas que o mundo enfrenta. Quem está afim de fazer diferente e ajudar a causa, no entanto, precisa considerar também quais são os obstáculos do cenário atual.

  • Grande volume de resíduos: O aumento do consumo do embalagens, especialmente de plástico e de papel, segue estimulando a produção e o consumo de itens que acabam virando lixo.
  • Descarte inadequado: A maioria das embalagens não volta aos clubes, o que deixa na responsabilidade do assinante o encaminhamento adequado aos centros de reciclagem, coisa que, muitas vezes, não acontece.
  • Poucas alternativas: Faltam opções menos impactantes no mercado que possam substituir o plástico em custo e escala similares; ainda mais para o pequeno empreendedor.

Diferentes tipos de embalagens e recipientes

Um dos primeiros passos para driblar o cenário atual e decidir utilizar embalagens sustentavelmente responsáveis está em, antes, entender as diferenças entre elas:

  • Reciclada: Embalagem feita de materiais que já tiveram algum uso antecedente e que passou por um sistema de coleta e separação adequada.
  • Reciclável: Embalagem com condições para ser reciclada – tanto no pré quanto no pós-consumo. Para que seja reciclada de fato, precisa passar pelo processo adequado.
  • Reaproveitável ou multiuso: Embalagem que, após o uso para o qual foi inicialmente projetada, pode ganhar novas funções nas mãos do consumidor.
  • Retornável: Embalagens que podem retornar para a fábrica com o intuito de serem reutilizadas.
  • De fonte renovável: Feita a partir de recursos naturais não esgotáveis, ou seja, que não terão um fim, seja em um futuro próximo ou distante.
  • Compostável: Embalagem feita com material de origem vegetal, apto a passar por um processo rápido de degradação. O resultado do processo enriquece o solo.
  • Biodegradável: Embalagem que se degrada por meio de agentes biológicos. Pontoschave: tempo e qualidade do material para o solo.
  • Rastreável: Embalagem que traz informações acerca do percurso da matéria-prima – desde a sua origem até o uso no produto final.

Critérios para escolher um fornecedor

Uma vez que entendemos que tipo de embalagem sustentável comporta os itens enviados pelo seu clube de assinatura, fica um pouco mais fácil escolher o fornecedor ideal de materiais para embrulho e abastecimento. No entanto, existem alguns critérios que são essenciais para não errar na hora de fechar essa parceria.

  • Cheque se o fornecedor está certificado ou em processo de certificação com selos alinhados a padrões internacionais da sustentabilidade, seja em termos de matéria-prima (RCS, GRS, Eucertplast, FSC e outros) ou de gestão
    (ISO 140001 e outros);
  • Veja se ele tem disponibilidade para o desenvolvimento de novos protótipos e embalagens, sempre que as soluções disponíveis não responderem aos desafios da circularidade;
  • É desejável que o fornecedor tenha proximidade geográfica com o Centro de Distribuição da empresa para controlar a emissão de GEEs (pegada de carbono) com transporte e fomentar o desenvolvimento local;
  • Esse fornecedor deve implementar ou estar familiarizado com processos de Análise de Ciclo de Vida (ACV), uma técnica de avaliação e quantificação de impactos ambientais possíveis associados a um produto ou serviço.

Dicas e recomendações

Agora que entendemos melhor todos os fatores-chave para a tomada de decisão na hora de escolher em como embalar suas boxes de assinatura, podemos pensar em algumas perguntas que podemos nos fazer antes de encomendar nossas embalagens. A primeira é: quais embalagens e recipientes são realmente necessários para o meu clube de assinatura hoje?

Se você puder optar por embalar o menor número possível de itens, melhor, pois embalagem nenhuma ainda é melhor que uma embalagem sustentável. Mas, é claro, isso varia de caso para caso, uma vez que o produto precisa chegar em segurança e sem avarias na casa do assinante.

Vale pensar também em estimular o retorno das embalagens utilizadas na logística interna do clube, especialmente quando as soluções envolvendo os assinantes ainda forem consideradas muito complexas. Considerar a realidade local e as condições de coleta de resíduos no momento de escolher o material da embalagem também é uma boa ideia.

Usar todo o seu poder de comunicação para orientar o assinante a descartar ou reaproveitar corretamente as embalagens também é importantíssimo, assim como deixar sempre nítidas as iniciativas do seu clube frente à sustentabilidade. E a última dica é ter em vista a visão de futuro da empresa, para que as embalagens acompanhem essa evolução.

E aí, esse conteúdo foi útil para o seu clube? Comece a vender no maior marketplace de clubes de assinatura do Brasil, o Hub Home Box: clique aqui e saiba como!