Quando o assunto é receber pagamentos recorrentes, um bom gateway para clube de assinatura faz toda a diferença. E isso tem relação com o avanço da digitalização nas relações de consumo.

Nos últimos tempos, o brasileiro passou a dar cada vez mais chance ao mercado digital, tanto na hora de empreender, quanto na hora de comprar. E nessa onda crescente de transações virtuais, se faz necessário cada vez mais lembrar de um detalhe muito importante: a praticidade e a qualidade do gateway de pagamento. 

Essa ferramenta funciona como uma “maquininha de cartão”, só que de forma digital. A tecnologia possibilita que o pagamento seja efetuado em ambiente virtual em uma transação que envolve o consumidor, o banco e a operadora do cartão de crédito. Ou seja, centralizando toda a operação de pagamento em uma única interface.

Quem administra um clube de assinatura precisa de agilidade e segurança redobradas, uma vez que o pagamento recorrente pede constância nas transações. 

Embora carregue mais complexidade, o gateway de pagamento recorrente precisa ser fácil para o assinante. Afinal, no Brasil, a taxa de desistência de compras no ambiente online é de 82%, de acordo com o E-commerce Radar. 

Embora tenha crescido 18% em 2021, o mercado de vendas recorrentes também enfrenta desafios semelhantes, uma vez que a taxa de cancelamentos e pedidos avulsos ainda é bastante alta, e isso pode estar intimamente ligado à escolha do gateway.

Mas, afinal, qual a importância do gateway de pagamento no crescimento de um clube de assinatura? Confira, neste texto, alguns pontos a serem considerados antes de confiar os dados do seu clube e de seus assinantes a qualquer empresa.

Gateway para clube de assinatura: o que é?

Criado para facilitar as vendas, um bom gateway de pagamento deve ser completo e prático.

Garantindo que a transação seja feita de forma mais rápida e segura, o gateway faz a captação, a transmissão e o armazenamento dos dados e informações necessárias para as compras dos clientes. 

Por esse motivo, é importante tanto para a empresa quanto para o consumidor que o gateway funcione corretamente e que proteja bem os dados capturados. 

Além de intermediar o pagamento, o gateway para clube de assinatura ainda pode oferecer outras ferramentas capazes de aumentar a conversão em vendas, todas focadas na praticidade das transações.

Como funciona um gateway para clube de assinatura

Entender o fluxo da transação de um gateway de pagamento para clube de assinatura, ao contrário do que pode parecer, na verdade, é bastante simples. 

Embora ocorra em questão de segundos, o procedimento é constituído por algumas etapas:

  1. O cliente acessa a página de finalização da venda (checkout) para concluir sua compra
  2. Integrado com a página de checkout, o gateway de pagamento colherá as informações do cliente e permitirá que o consumidor escolha o tipo de transação: à vista, parcelado, boleto, Pix, etc.
  3. Quando o cliente finaliza a compra, o gateway gera o pedido, comunicando-se com a adquirente para que a transação seja processada
  4. A adquirente, por sua vez, se comunica com as bandeiras e bancos para verificar se as informações preenchidas pelo cliente estão corretas e fazer a certificação de que há saldo disponível para a transação. Se estiver tudo correto, a confirmação é enviada para o gateway
  5. Ao receber a confirmação, o gateway informa o antifraude, que cruza os dados da compra daquele cliente com o perfil transacional do ambiente virtual, garantindo, assim, a idoneidade da transação
  6. Após a transação ser aprovada também pelo antifraude, o cliente é notificado do sucesso da operação e orientado a aguardar o envio de sua compra.

Gostou do conteúdo? Este artigo foi criado pelo Hub Home Box, o maior portal de clubes de assinatura do Brasil, em parceria com o Blog Vindi, o maior portal sobre cobrança recorrente e pagamento online.